11 de outubro de 2013

MINI-ABATEDOURO DE FRANGOS DA COOPERCINT EM CUIABÁ RECEBE VISITA DA SEDTUR E UNISOL Brasil

  
Fabinho, Sr. Xiquinho,  Gleidson e. Sr. Dito Paraíba.

No dia 11 de outubro de 2013, o Técnico da SEDTUR e representante estadual da UNISOL Brasil, juntamente com o Engº Civil Cleudson da SEDTUR, estiveram visitando as instalações do Mini-Abatedouro de Frangos Caipira, da Cooperativa de Produtores Rurais - COOPERCINT, do Cinturão Verde do pedra 90 em Cuiabá, à 10 km do Centro da cidade.

 
Geraldo Lúcio, Sr. Dito Paraíba , Engº Gleidson e Sr. Xiquinho

O Engrº Civil, repassou orientações ao Presidente da Cooperativa sobre as obras finais de destino dos dejetos do abatedouro, interpretando o projeto sanitário elaborado pela Associação Matogrossense dos Municípios = AMM.

Esta é a fase final do projeto, construir o sistema de destino dos dejetos, com tanques para tratamentos dos resíduos.

O Sr. Benedito Abílo, está otimista com a obra que agora está na fase final, e ficou muito satisfeito com a visita dos técnicos, agora sim eu vejo uma luz no fundo diz seu Dito Paraíba como é conhecido na região, pois, este projeto já teve tempo para gestação e parto de duas crianças e ainda está deste jeito, mas com o apoio dos técnicos estou esperançoso, finalisa.



Engº Gleidson e Sr. Dito



Sr. Dito Paraíba, Geraldo Lúcio e Engº Cleudson e Sr. Xiquinho.
















O Projeto de Desenvolvimento de um sistema de criação com foco na Avicultura Caipira, (Frango Verde) no Cinturão Verde do Pedra 90 – Cuiabá – Mato Grosso.

Surgiu, por ocasião em que (Geraldo Donizeti Lúcio) ocupava o cargo de Diretor da Agricultura e Abastecimento de Cuiabá, nos anos de 2009/2010, onde através da Associação de Pequenos Produtores Rurais do Cinturão do Pedra 90, na então administração do Sr. Benedito, vulgo Dito Paraíba. Naquela ocasião iniciamos o processo de discussão e iniciamos na prática as orientações para o desenvolvimento desta atividade.

A Associação foi mobilizada, com a articulação de seu presidente, Sr. Benedito, , Dona Glaucia vice presidente época, apoio do Sr Ari um experiente criador e incentivador da atividade advindo da cidade de Santo antônio do Leverger – MT e o Veterinário da Diretoria Sr. Fernando. 

Para a concepção do Projeto de Avicultura Caipira (Frango Verde), no PA – Cinturão Verde do Pedra 90, foram necessárias muitas reuniões, na comunidade, algumas de orientações técnicas, outras de articulação política e financeira.

O SENAR – Serviço Nacional de Aprendizagem Rural, foi um grande parceiro neste projeto, realizou cursos sobre o sistema de criação de Frango Caipira na comunidade.

O INCRA – Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária, disponibilizou para o Projeto um recurso financeiro que estava bloqueado, pois era objeto de construções de residências no Assentamento e que somente poderia ser liberado após uma Assembleia Geral com todos os moradores e que os mesmo apoiassem o uso dos recursos para a construção do Mini-Abatedouro. e assim aconteceu o INCRA – liberou os recursos na conta de uma Comissão de Assentados escolhida naquele momento.

O MT – FOMENTO – Disponibilizou também recursos financeiros para a construção do Mini-Abatedouro, através da então SEDER sobre a administração do Secretário Jilson. – atualmente a SEDER foi reformulada e tem o nome de SEDRAF – Secretaria estadual de Desenvolvimento Rural e da Agricultura Familiar.

Este projeto somente terá sustentabilidade com as parcerias público privada dos Governos: Federal, Estadual, Municipais, Associação de Produtores e COOPERATIVA do PA do Cinturão Verde do Pedra 90

Os criadores receberão as orientações técnicas necessárias para que a criação seja realizada seguindo as normativas de instalações, manejo, criação da marca, abate e comercialização

As orientações técnicas Seguindo as legislações: Federal, Estadual, Municipal, regimento interno e normativas da COOPERCIT.

O processo contemplará toda a cadeia produtiva do Frango Caipira, da criação ao abate e num futuro bem próximo o precessso de transformação da carne.

O projeto somente será viável com o término construção do Mini-Abatedouro que está com mais de 80% de sua obra pronta e quendo finalizada deverá tera a concessão de pelo menos um Sistema de Inspeção, SIFIS, (Federal) SISE (Estadual) e ou SIM, (Municipal), pois não se pode pensar em colocar o Frango no mercado sem que o mesmo esteja totalmente legal dentro da legislação afim.

METAS PRIORITÁRIAS 

Término da construção do Mini-Abatedouro de Aves Caipira seguindo os padrões da EMBRAPA, sendo regularizado e aprovado pelo menos do SIM – (Sistema de Inspeção Municipal), podendo avanças para o SISE - (Estadual) ou SIFIS - (Federal).

O Mini-Abatedouro está sendo construído com duas áreas construídas uma de 68 m2 para o abate e outra administrativa com vestiários e banheiros com 40 m2

Terá capacidade para abater no mínimo de 350 a 500 aves por dia (7.000 a 10.000 aves por mês) em jornada normal de 8 hs de trabalho dia.

O termino da construção e instalação do Mini – Abatedouro deverá ocorrer em um período de 4 a 6 meses, tempo suficiente para melhor organizar os Agricultores (Avicultores) no processo de produção.

Os Agricultores Familiares do PA – Cinturão Verde do Pedra 90 jpa desencadearão um processo de criação de uma COOPERATIVA denominada COOPERCIT – Cooperativa de Produtores Rurais do Cinturão Verde do Pedra 90, e cerca de 30 Associados da ASPROVERDI – Associação dos Produtores Rurais do Cinturão Verde do Pedra 90, criadores de Aves Caipira migrarão para Cooperativa. A Criação da COOPERCIT, foi demandada para administrar toda cadeia do frango e o Abatedouro.

COMERCIALIZAÇÃO

PAA da CONAB – com doção simultânea
PAA da Prefeitura – com doção simultânea
PNAE – Programa Nacional de Merenda Escolar
Central Atacadista do Agricultor Familiar 
Mercado Atacadista Cuiabá (Verdão)
Mercado Varejista do Porto
Rede de Supermercados locais e regionais
Feiras Livres locais e regionais
A prefeitura Municipal de Cuiabá, SEDRAF e EMPAER – MT - Farão as orientações necessárias seguindo as normativas de instalações, manejo, abate e comercialização conforme as legislações: Federal, Estadual , Municipal, regimento interno e normas da COOPERCIT

Quanto ao Financiamento: serão buscados os recursos financeiros para a criação dos frangos, término da construção da Mini-Abatedouro e processo de comercialização

A Federação, Estado e Município, atreves de seus órgãos afins farão as fiscalizações necessárias em toda cadeia produtiva do Frango Caipira, inclusive para concessão do Selo – “Frango Verde”

Os orgãos de cerificação afins, farão os licenciamento e fiscalização do Mini – Abatedouro.

A COOPERCIT – usará a “Marca Frango Verde” e será a Gestora do Projeto junto aos seus cooperados.

A CONAB, Prefeitura, Educação Estadual e municipal, Feiras Livres e mercados do Produtor e outros, irão adquirir os frangos limitando o valor conforme programas, e comportamento do mercado. 

Recursos Financeiros:

São necessários recursos financeiros para que o Agricultor Familiar possa ter condições favoráveis de desenvolver todo o processo da cadeia produtiva do Frango Caipira (Frango Verde) bem como para o Mini-Abatedouro, no Estado de Mato Grosso estes recursos estão disponíveis nos seguintes programas e agentes financeiros:

AGENTES FINANCEIROS: MT FOMENTO,
Banco do Brasil, 
Banco da Amazônia, 
Caixa econômica Federal, Bradesco, 
Santander,
Itaú, 
Sicredi,
e outros.


PROGRAMAS DE FINANCIAMENTO 
FCO – Fundo Constitucional do Centro Oeste
PRONAF – Programa Nacional da Agricultura Familiar
FUNDEIC – Fundo de Desenvolvimento da Indústria e Comércio
PROGER – Programa de Geração de Rendas

Nenhum comentário:

Postar um comentário